Ansiedade dos responsáveis como fator influenciador da ansiedade odontológica infantil

Emily Souto Martins, Edna Fernanda Dias Leão, Fabíola Helena da Silva, Carolina de Castro Oliveira, Verônica Oliveira Dias, Maria José Lages de Oliveira

Resumo


O objetivo deste artigo foi avaliar a associação entre a ansiedade odontológica dos pais/responsáveis e crianças atendidas em uma universidade pública de Montes Claros (Unimontes), utilizando um questionário e escalas de ansiedade de Venham Picture Test Modificada (VPTM) e Corah. Participaram 58 responsáveis e suas crianças que procuraram tratamento na Clínica odontopediátrica da Unimontes. A maioria dos responsáveis era representada pela mãe e a idade média das crianças foi 7,6 anos. Segundo os responsáveis, 61,4% das crianças apresentavam ansiedade odontológica, 24,6% manifestavam medo, 89,7% tinha ido ao dentista, 63,5% receberam intervenção curativa e 36,5% preventiva. Das crianças com experiência odontológica, a maioria permitiu o exame bucal e tratamento odontológico. Destas, 38,0% submeteram à anestesia local e 15,4% choraram e necessitaram de contenção física. Através da Escala de Corah, 70,7% dos responsáveis apresentaram alguma ansiedade e o uso da anestesia local é o procedimento que causa mais ansiedade. Não verificou associação entre o nível de ansiedade dos responsáveis e das crianças (p=0,426). A maioria das crianças foi classificada sem ansiedade, enquanto a maioria dos responsáveis com algum grau de ansiedade. Não houve associação significativa entre a ansiedade dos responsáveis e as variáveis pesquisadas (p>0,05). Observou presença de ansiedade odontológica dos responsáveis, independente das suas crianças apresentarem ou não ansiedade. Notou necessidade de desenvolver ações educativas aos responsáveis que acompanham suas crianças no atendimento odontopediátrico da Unimontes, de forma a proporcionar a reduzação dos seus níveis de ansiedades, assim como aumentar o apoio e auxílio durante o tratamento odontológico dos seus filhos.

Referências


BATISTA, T.R.M. et al. Medo e ansiedade no tratamento odontológico: um panorama atual sobre aversão na odontologia. Rev. Salusvita, Bauru, v. 37, n. 2, p. 449-469, 2018.

BOTTAN, E.R; OGLIO, J.D; ARAÚJO, S.M. Ansiedade ao Tratamento Odontológico em Estudantes do Ensino Fundamental. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, v.7, n.3, p. 241-246, set/dez. 2007.

BOTTAN, E.R.; TRENTINI, L.; ARAÚJO, S.M. Ansiedade no tratamento odontológico: levantamento em escolares do ensino fundamental do município de Pouso Redondo-SC. RFO, v. 12, n. 3, p. 7-12, set./dez. 2007.

BUSATO, P. et al. Influence of maternal anxiety on child anxiety during dental care: cross-sectional study. Sao Paulo Med J, v.145, n.2, p.116-22, 2017.

CAMPOS, C.C et al. Tratamento Odontológico Ambulatorial em PNE – PARTE V: Sedação Consciente.In: Clínica Odontológica Infantil Passo a Passo. Goiânia: FUNAPE, 2010.

CARDOSO, C.L.; LOUREIRO, S.R. Estresse e Comportamento de Colaboração em Face do Tratamento Odontopediátrico. Psicol. Estud., Maringá, v. 13, n. 1, p. 133-141, jan./mar. 2008

CORAH, N.L. Development of a dental Anxiety scale. J dent Res, v.48, p.596-9, 1969.

COSTA JÚNIOR, A.L. Psicologia aplicada à Odontopediatria: Uma Introdução. Estud. Pesqui. Psicol. , v. 2, p. 67-77, 2002.

CUNHA, W.A.; CORRÊA, M.S.N.P; ALVAREZ, J.A.A. Evaluación de la ansiedad materna en el tratamiento odonto-pediátrico utilizando la escala de Corah. Rev. Estomatol. Hered., v.17, n.1, p. 22-24, 2007.

DOMINGUES, S.M; CARVALHO, A.C.D; NARVAI, P.C. Saúde bucal e cuidado odontológico: representações sociais de mães usuárias de um serviço público de saúde. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum, v.18, n. 1, p.66-78, 2008.

FAZLIA, M; KAVANDI, M.R. Parents's Anxiety on Children Cooperation at Dental Visit. Procedia - Social and Behavioral Sciences, v.205, p. 117-121, 2015.

FOLAYAN, M.O et al. A review of the pharmacological approach to the management of dental anxiety in children. Int J Paediatr Dent, v.12, n.5, p:347- 54, 2002.

GÓES, M.P.S et al. Ansiedade, medo e sinais vitais dos pacientes infantis. Odontol. Clín.-Cient, v.9, n.1, p.39-44, jan./mar., 2010.

HU, L.W.; GORENSTEIN, C.; FUENTES, D. Portuguese version of Corah’s Dental Anxiety Scale: transcultural adaptation and reliability analysis. Depress. Anxiety., v.24, n.7, p.467-71, 2007.

HMUD, R.; WALSH, L.J. Ansiedad dental: causas, complicaciones y métodos de manejo. Rev.De Mínima Intervención En Odontología, v.2, n.1, p.237-248, 2009.

JONGH, A. et al. Psychological trauma exposure and trauma symptoms among individuals with high and low levels of dental anxiety. Eur. J. Oral Sci, v. 114, n.4, p.286–292, 2006.

KANEGANE K. et al. Ansiedade ao tratamento odontológico em atendimento de urgência. Rev Saúde Pública, v.37, n.6, p.786-92, 2003.

LIMA, K.M.A; MAIA, A.H.N.; BEZERRA, M.H. O. Psicologia e Odontopediatria: Possibilidade de Atuação em uma Clínica – Escola. Rev. Expressão Católica, v.1, n.1, p. 133-137, jul./dez.2016.

MARQUES, K.B.G; GRADVOHL, M.P.B; MAIA, M.C.G. Medo e Ansiedade prévios à consulta odontológica em crianças dos municípios de Acaraú-CE. Rev. Bras. Pesqui. Saúde., v.23, n.4, p.358-367, out./dez., 2010.

MEIRA-FILHO, M.M.O. et al. Atendimento odontológico da criança: percepção materna. Rev. Gauch. Odontol. v.57, n.3, p.311-5, 2009.

MOORE, R.; BRODSGAARD, I.; BIRN, H. Manifestations, acquisition and diagnostic categories of dental fear in a self-referred population. Behav Res Ther. v.29, n.1, p. 51-60, 1991.

MOREIRA, K.M.S. et al. Ansiedade do responsável em relação ao atendimento odontopediátrico. Rev Assoc Paul Cir Dent, v.69, n.2, p.135-41, 2015.

MURIS, P. et al. The role of parental fearfulness and modeling in children’s fear. Behav. Res. Ther, v.34, n.3, p.265-268, 1996.

NICOLAS, E. et al. Factors affecting dental fear in French children aged 5-12 years. Int J Paediatr Dent, v.20, p.366-73, 2010.

OLIVEIRA, M.M.T.; COLARES, V. The relationship between dental anxiety and dental pain in children aged 18 to 59 months: a study in Recife, Pernambuco State, Brazil. Cad. Saúde Pública, v.25, p.743-750, 2009.

PINKHAM, J.R. A importância prática da Odontopediatria. In: J.R.Pinkham, Odontopediatria: da infância à adolescência (pp. 2-13). São Paulo: Artes Médicas, 1996.

PIRES, V.R. et al. Análise da reação emocional do paciente odontopediátrico após anestesia parcial por meio de escala análoga visual. Pesqui Bras Odontopediatria Clín Integr, v.5, n.2, p.127-31, 2005.

RAMOS-JORGE, M.L.; PORDEUS, I.A. Por que e como medir a ansiedade infantil no ambiente odontológico. Apresentação do teste VPT modificado. Rev Ibero-am Odontopediatr Odontol Bebê, v.7, p.282-90, 2004.

RANTAVUORI, K. et al. Factors associated with different measures of dental fear among children at different ages. J Dent Child, v.76, p.13-9, 2009.

SANTOS, N.C.N; OLIVEIRA, R.G; BARROS, L.A.N. Evaluation of Children’s and Adolescents’s Anxiety Previously Dental Treatment: A Cross-Sectional Study. Pesqui Bras Odontopediatria Clin Integr, v.19, n.1, p. 1-9, 2019.

SEMENOFF-SEGUNDO, A. et al. Experiência do paciente em relação ao medo frente ao atendimento odontológico. Rev Odontol Bras Central, v.25, n.72, p.45-48, 2016.

SINGH, K.A.; MORAES, A.B.A. de; AMBROSANO, G.M.B. Medo, ansiedade e controle relacionados ao tratamento odontológico. Pesq Odont Bras, v. 14, n. 2, p. 131-136, abr./jun. 2000.

SOARES, F.C. et al. A Ansiedade Odontológica em Crianças e os Fatores associados: Revisão de Literatura. Psicol, Saúde Doenças, v.16, n. 3, p.373-385, 2015.

SUPRABHA, B.S. et al. Child dental fear and behavior: the role of environmental factors in a hospital cohort. J Indian Soc Pedod Prev Dent, v.29, p.95- 101, 2011.

SHAHNAVAZ, S. et al. Internet-Based Cognitive Behavioral Therapy for Children and Adolescents With Dental Anxiety: Open Trial. J. Med Internet Res, Estocolmo, v. 20, n. 1, 2018.

TOMÉ, M.S.S. et al. Avaliação da ansiedade dos pais e/ou responsáveis frente ao tratamento odontológico em crianças. Braz J Surg and Clinical Res, v.25,n.1,p.13-16, 2019.

TOMITA, L.M; COSTA JUNIOR, A.L; MORAES, A.B.A. Ansiedade materna manifestada durante o tratamento odontológico de seus filhos. Psico-USF , v. 12, n. 2, p. 249-256, jul. /dez. 2007.

THEMESSI-HUBNER, M. et al. Empirical evidence of the relationship between parental and child dental fear: a structured review and meta-analysis. Int J Paediatr Dent, n.20, p.83-101, 2010.

VOMERO, M.F. Entendendo a relação paciente/profissional. Rev. da APCD, v.54, p.267-276, 2000.

YIN-LING, L. et al. Child dental fear in low-income and non-lowincome families: A school-based survey study. J of Dental Sciences, v.9, p. 165-171, 2014.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Endereço postal

 

Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes Pró-Reitora de Extensão Coordenação Editorial da Revista Intercâmbio

Av. Ruy Braga, Predio 05, Sala 210, Campus Universitário Prof. Darcy Ribeiro CEP: 39401-089 - Montes Claros / MG

 

Contato Principal

Daniela Imaculada Pereira Costa
Telefone: (38) 3229-8160
E-mail: revista.intercambio@unimontes.br

Secretários Executivos

Iury Veloso - Antony Willian 
Telefone: (38) 3229-8300
E-mail: revista.intercambio@unimontes.br